quinta-feira, 10 de março de 2016

inventar ouvidos

"(...)em última instância ninguém pode escutar nas coisas, incluídos os livros, mais daquilo que já sabe. Faltam-nos ouvidos para escutarmos aquilo ao qual não se tem acesso a partir da vivência. Imaginemos o caso extremo de que um livro não fale mais do que de vivências que, em sua totalidade, encontram-se situadas para além da possibilidade de uma experiência frequente, ou, também, pouco frequente - de que seja a primeira linguagem para expressar uma série nova de experiências. Neste caso, simplesmente, não se ouve nada, o que produz a ilusão acústica de crer que, de onde nada se ouve, tampouco nada existe...Esta é, definitivamente, minha experiência ordinária e, caso se queira, a originalidade de minha experiência. Quem acreditou ter compreendido algo de mim, refez algo de mim à sua imagem."

nietzsche

Nenhum comentário:

Postar um comentário

<_/´\_/`\__>~ tss