sábado, 4 de maio de 2013

Fumaça, rabisco, graça e a chuva que veio varrer nosso telhado.
Cama, cabana, carma e língua como arma apontada para o céu da minha boca.
A escuridão que traz as luzes, silencio, colchão e a certeza de que o "não" não volta mais.

Descanso, almoço, o tempo, repouso
Desalinho, um ninho, eu queimo: pescoço
Virar-se do avesso, materializar-se no toque de dedos e o chão a flutuar:
Nos pertenço!; a via crucis do corpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

<_/´\_/`\__>~ tss