quinta-feira, 25 de abril de 2013


aqui em casa tem um banheiro alheio ao resto da construção. fica do lado de fora de casa, logo acima das escadas do corredor; foi feito para as festas mas quase que elas não existem então o banheiro ficou pra trás. e nas ocasioes em que comunho de sua prática hospitalidade, consigo, se sortuda, ouvir minha irmã caçula tomar banho.
aqui em casa tenho dois gatos: a gata e o elias, mais novo. e não sei que raio deu na cabeça dos dois pra gostar tanto de chuveiro ligado. e não sei que tempestade aconteceu no dia da criação que fez com que, além disso, gostassem especialmente da minha irmã caçula tomando banho. e é curioso, quando vou ao banheiro, dar de janela com ela e escutá-la conversando com os bichanos.
é, exatamente isso: conversando com os gatos. ela fala com fluidez e objetividade, na língua deles é claro, sobre qualquer coisa como novelas, chás da tarde, bicicleta e fofoca. e eles respondem, sóbrios e interessados.
mais curioso ainda é que a pequena é um pentelho ambulante; faz questão de vexaminar os outros e suas crueldades e, ainda por cima, não se incomodar com as respectivas reações.
então é isso: minha irmã caçula é um gato que nasceu no meio dos homens por causa de um erro de cálculo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

<_/´\_/`\__>~ tss