domingo, 5 de fevereiro de 2012

Sonny Rollin's "Saxophone Colossus": Blue 7

(ave que malemolência a primavera...
e que tentação o vermelho que te cerra
os meios
meus
meu meio
é seu)


"Sem título", Juh Moraes, Setembro de 2010

gosto de te chupar devagarinho
falar baixinho de madrugada
que gostamos de carinho
até a primeira entrada

depois panteras ouvimos um rock and roll
é inegável encostarmos pro abraço
o abraço de oi
e depois vem o cangaço
e uma suadeira sem dor

lambemo-nos todos
fazendo gozar...

sexo é lindo
ainda mais contigo

minha boca rosa nem tão úmida
mas sempre vistosa, disposta
e sedenta, deslizo...
ninguém de ti negaria tamanha delícia
estamos vivos, trepemos

d-e-l-í-c-i-a

ele queria me matar nessas horas
,das lambidas,
e eu queria que ele pelo menos estapeasse
porque me sinto um demônio
ou filha da mulher do demônio
cria da vida,
v a d i a
acho lindo doer as vísceras

eu de quatro no sofá
"voce tem ideia do tamanho do diabo que te invade?"
não,meu Deus!, mas que saudade...

se eu calar a boca agora ele me evita até a morte
mas ai benzinho, não falo putaria
falo bondades...

penso numa meia luz
essa música tá me derretendo o ventre
me bebe
inteira
quero esticar-me até a morte

quero que minha alma venha nos olhos...mas principalmente na garganta
hmm..suspirar de calor,
ser violenta
voce me da arrepio
vez em quando me puxa o pescoço e me lambe a nuca...
diz qualquer besteira
no pé do ouvido

grita pra mim...
hhhhhhhm...
eu te amo feito um bicho nessas horas
nao aguento:
eis meu castigo

especificamente no meu caso contigo
eu não preciso falar...

leia meus lábios
as minhas mãos
a minha sede

mas PRINCIPALMENTE:

leia meu pescoço de saboneteiras:
eles dizem exatamente o que passa nas minhas veias

muito do meu sangue
em vermelho brilhante

pulsante

(ai, que música...)

ele pede por favor
já que estamos longe
passe a mão por mim
e eu digo convencida
que meu oi nas partes proibidas
começa a valia desde a anterior partida

desde o primeiro cumprimento
já umedeço meu monumento
vou regando a alma
enquanto você me engole o dedo

(ter duas mãos é um presente de Deus
ainda mais ter quatro:
não se sofre de contratempo!)

"me engole, lambe..."
com gosto e com jeito
"passa a mão na minha barriga..."
passo em você inteiro..



por fim-enc(qu)anto:
"nossa, não to aguentando..."


deságua!,

me rega







Foto de Juh Moraes, mais em:
http://www.flickr.com/photos/julianamorales/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

<_/´\_/`\__>~ tss