quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

o outro é combustivel
como tambem é um jardim de delícias. 

nele trabalho e nele descanso: 
nos (des)caminhos que eu alcanço

nele inflamo as vísceras
e, claro, nele eu lambo pilhas...

e nos dias infinitos em que posso pensar em largar tudo, 
bem na hora me vem algum mudo todo bêbado e eu rapidinho retomo o fôlego! 

fui feita pras violências do mundo.
sofro com elas e gozo também
fui feita pra ouvir bobagem, falar de sacanagem, tomar porrada na cabeça
mas vim estranhamente sem nenhum nó nas orelhas
nelas tem uma sensibilidade que me sufoca
e eu posso ouvir em qualquer lugar as minúncias dos cidadãos-oca

fazer o que? me arrebento toda
mas sabe deus como fico louca:

acho o outro uma 
d-e-l-í-c-i-a

Nenhum comentário:

Postar um comentário

<_/´\_/`\__>~ tss