quarta-feira, 12 de outubro de 2011

CENSURADO (braistorming tempestuoso e sem noção - do jeito que eu gosto)

quarto novissimo em folha-cor

eu sorrindo, eterna flor

cortei tua melhor camisa porque tive vontade.

ponto final.

assim como você veio e me fez rasgar a vaidade

sim, cortei teu pano preferido

sim, eu sorri

cortei teu pano preferido!!!

pra você deixar de fazer pose.

andar descalço, gritar bem alto


POORRQUEE EUU CORRTEEI TEEU PAANO PREFERIIIDOO!


e ainda uso de vestido...


eu sorrindo, eterna flor


esqueci que és tu qualquer coisa que embaçava as minhas retinas


impetuosas naftalinas que encaixotavam um amor cristão
cortei tua batina



com a mesma tesoura que cortei a minha mão

eu, doce, flambada, gozada, usada, caída

anjinha anjíssima do tenro amor de sua nova vida

sonho americano eu de um chicano tu

cortei teu pano e só não me rasgo o


CU



porque me doeria

rasgo então tua camisa, tua estrada e tua cantada vida

pensa que eu não sei, seu moleque!

se eu pudesse ainda arranhava toda a lataria do teu carro!

você fica aí passeando suas palavras-sofá-cama nas orelhas dessa piranha
pensa, pensa que me engana



TE DEGOLO, SOU JUDITE



sou da mais pura e alta estalactite que mainha foi buscar
lá no ilê da puta que nos pariu pretos e dengos


sou acanã, janaína, mariana


e se EU quiser tu me mostra tua cama

sou menina, bom jesus, carolina, dois azuis





sou toda

caetana

Um comentário:

  1. Ana, cada dia que passa suas palavras enredam tecidos guapíssimos!
    Não deixa isso passar sem lembrança tá? Nunquinha na sua vida você vai deixar passar essa sua licença poética okay? Estamos combinadas? Promete? Seus textos me encantam nêga,
    um chêro,
    Biba

    ResponderExcluir

<_/´\_/`\__>~ tss