quarta-feira, 16 de novembro de 2016

no tempo das pedras já éramos nós | aninhando gravetos | e empilhando montanhas
de todos os entretempos em que eu vagava | < a trama da cidade > | e você corria,
tão fortes quanto antigos sobrevivíamos | sanguíneos.
e disto nasceu o rio | que por amor divino não tem nome

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

teste para saber se você adora ser bastardo

MEDIA FINAL é _________
IPTU é __________
RENTABILIDADE é _______
BÔNUS é _______
INSS é __________
RELATORIO é ______
BOLETIM é ________
PRODUTIVIDADE é ______
CARGA HORARIA é _____
PONTO é _________
CLT é ___________
ad infinitum
se vc respondeu ao menos uma das opçoes parabens vc passou no teste VC É UM BASTARDO GLORIOSO :DDDDDDDDDD

e se vc nao sabe nenhuma das questoes por favor ME ABDUZA PARA A SUA KEBRADA IMEDIATAMENTE


preciso arejar




que o mundo está a me matar lento

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

"depois aprendi que escuridão é silêncio e é, pode ser, uma casinha pendurada no cume de uma rocha, ou uma lamparina que se apaga à medida que nos sentidos se incorporam os contornos, e o mundo se ausenta para a construção do espetáculo.
escuridão é, pode ser, uma onda imensa, onde, na crista ou nas entranhas negras, me confronto com um silêncio vazio e estranho. dolorosamente vazio. loucamente estranho.
horas decorridas e é madrugada. e o outro lado da ilha que se afasta num ciclo perpétuo de encontros e desencontros"

várias pala e lorotas

to aqui tentando trabalhar mas entrei no facebook e uma das supervisoras do DEPARTAMENTO educativo da fundação BIENAL de são paulo compartilhou o trecho da LEI de diretrizes para a educação pública do ensino médio do PAÍS.
essa coisa toda me dá nauseas - a lei os homens e deus as normas os autos o transito parado. e a gente se destrinchando se vendendo se desesperando - parados. nao é que eu nao me importe: preciso de politica publica nasci favelada minha mae só por deus de tao forte virava pedras e os homens quebrando garrafas - inuteis - e hoje minha saude emocional de caquinhos precisa de cola, INDUSTRIAL. não e que eu nao precise de politica publica, nao é que ninguem precise de politica publica, mas falar nelas ? ONDE. e as discussoes e os simposios e as bienais. dao em que? "nao é pra DAR em nada." né? preferivel, para a burguesia intelectual da cosmopolis , ganhar seus tres ou quatro BARÕES mensais tao razoaveis e poder ao mesmo tempo reclamar e arrotar, assobiar e chupar cana, bem
satisfeitos-insatisfeitos-satisfeitos-insatisfeitos .
essa droga eu já experimentei, é o máximo.
compro deles mesmos, parados. porem AUTO SUSTENTAVEIS
tudo isso pra dizer que eu tentei
ler a lei e nao entendi nada

terça-feira, 1 de novembro de 2016

hashtag

suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas
suspeitar das teorias gerais e descrever analiticamente relações insuspeitas

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

vráu

vcs e essas porcarias que fazem.
fico so observando
e polindo as garras

sábado, 20 de agosto de 2016

im not here
to make you cum

terça-feira, 19 de julho de 2016

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Hurt

hoje meu coraçao sangra; tive amigos, que morreram ou me desentenderam, ou que matei por vida força. tive amores que, exaustos de pó e névoa, abandonaram-me esperando que eu sofresse as consequências de ter nascido "tão linda, você é tão linda..." e agora, silente e só, caminho na cidade que vejo da minha janela, a mesma cidade que me ritualizou e excomungou em seguida, a mesma cidade que me obrigou a voltar; eu, boneco articulado de carnes e pus. caminho na cidade, transito mundos muda e à procura.
hoje meu coração sangra: os amigos que fiz, que nos odiaram pelo quê só agora sei, saíram de mim vitoriosos; fundos canais de sugamento e duras cascas. os amores que tive, afogados de líquidos e contratempos, correram para o abrigo seguro das sociedades quentes e estáticas. e agora, imaterial, caminho pela cidade, caminho pela cidade fria, caminho pela cidade negativa, caminho pela cidade e enrijeço.
hoje meu coração sangra: aqueles amigos, que já são antiquíssimos, estão agora fantasiando-se aos sábados e pagando seu próprio formol, de modo que racional é tão mais simples e a vida escoa alucinada. aqueles amores, a quem dediquei uma vida inteira de substância translúcida, seguem alimentados e com pressa. e agora, simples e velha, tropeço pela cidade.
hoje meu coração sangra: amigos, que não possuo, podem ser qualquer passante desses milhares que configuram os veios saltados dos dias úteis. amores, que não possuo, o ápice da adiposidade dos tecidos urbanos. eu, que me abandono; o rodo cotidiano. sou levada pelos passos da cidade.
císmica:
hoje meu coração estanca
sou uma pedra rara
o novo aeón